Calendário gregoriano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Ir para: navegação , pesquisa
2013 em outros calendários
Calendário gregoriano 2013
MMXIII
Ab urbe condita 2766
Calendário armênio 1462
ԹՎ ՌՆԿԲ
Assírio calendário 6763
Calendário Bahá'í 169-170
Bengali calendário 1420
Berbere calendário 2963
Anos de reinado britânico 61 Eliz. 2 - 62 Eliz. 2
Calendário budista 2557
Birmanês calendário 1375
Calendário bizantino 7521-7522
Calendário chinês 壬辰年十一月二十日
(4649/4709-11-20)
- To -
癸巳年十一月廿九日
(4650/4710-11-29)
Copta calendário 1729-1730
Calendário etíope 2005-2006
Hebraico calendário 5773-5774
Calendários hindus
- Vikram Samvat 2069-2070
- Shaka Samvat 1935-1936
- Kali Yuga 5114-5115
Holoceno calendário 12013
Igbo calendário
- Ǹ rí Igbo 1013-1014
Calendário iraniano 1391-1392
Calendário islâmico 1434-1435
Calendário japonês Heisei 25
(平成25年)
Juche calendário 102
Calendário juliano Dia gregorianos menos 13
Coreano calendário 4346
Minguo calendário ROC 102
民国102年
Thai solares calendário 2556
Tempo Unix 1356998400-1388534399

O calendário gregoriano, também chamado de o calendário ocidental e do calendário cristão, é internacionalmente o mais amplamente aceito e utilizado calendário civil . [1] [2] [3] Por décadas, ele tem sido o padrão oficial global, adotada para os interesses pragmáticos de comunicação internacional, transporte comercial e integração e reconhecido por instituições internacionais, como a Organização das Nações Unidas e da União Postal Universal . [4]

Foi introduzido pelo Papa Gregório XIII , após os quais o calendário foi nomeado, por decreto assinado em 24 de fevereiro de 1582, o decreto, uma bula papal , é conhecido por suas palavras de abertura , gravissimas Inter . [5] O calendário gregoriano foi adotado inicialmente pelos países católicos da Europa, com os outros países adotando ao longo dos séculos seguintes. A motivação para a reforma gregoriana era que o calendário Juliano assume que o tempo entre equinócios de primavera é 365,25 dias, quando, na verdade, é quase 11 minutos mais curto. A discrepância resulta em um desvio de cerca de três dias a cada 400 anos. No momento da reforma de Gregório já tinha havido um desvio de 10 dias desde a época romana, resultando no equinócio da primavera cair em 11 de Março em vez da data eclesiasticamente fixo de 21 de Março, e que se deslocam constantemente no início do calendário juliano. Porque o equinócio da primavera foi amarrado para a celebração da Páscoa, a Igreja Católica Romana considera este movimento constante na data do equinócio indesejável.

A reforma gregoriana continha duas partes: uma reforma do calendário juliano, usado antes de tempo, o Papa Gregório e uma reforma do ciclo lunar usado pela Igreja, com o calendário juliano, para calcular a data da Páscoa . A reforma foi uma modificação de uma proposta feita pelo calabresa médico Aloysius Lilius (ou Lilio). [6] proposta Lilius incluiu a redução do número de anos bissextos em quatro séculos 100-97, fazendo 3 de 4 anos centurial comum, em vez dos anos bissextos: esta parte da proposta havia sido sugerido anteriormente por, entre outros, Pietro Pitati . Lilio também produziu um esquema original e prático para ajustar as epacts da lua ao calcular a data da Páscoa anual, resolver um obstáculo de longa data para o calendário de reformas.

O calendário gregoriano, portanto, modificou ciclo regular o calendário juliano de anos bissextos , como segue:

A cada ano que é exatamente divisível por quatro é um ano bissexto, com excepção dos anos que são exatamente divisível por 100; dos anos centurial que são exatamente divisíveis por 400 ainda são anos bissextos. Por exemplo, o ano 1900 não é um ano bissexto, o ano de 2000 é um ano bissexto. [7]

Além da mudança no comprimento médio do ano civil a partir de 365,25 dias (365 dias 6 horas) para 365,2425 dias (365 dias 5 horas 49 minutos e 12 segundos), uma redução de 10 minutos 48 segundos por ano, o calendário gregoriano reforma também abordou a diferença acumulada entre estes comprimentos. Entre 325 dC (quando o Primeiro Concílio de Nicéia foi realizada, eo equinócio vernal ocorreu cerca de 21 de Março), eo tempo de touro Papa Gregório em 1582, o equinócio vernal havia se mudado para trás no calendário, até que foi ocorrendo em cerca de 11 Março, 10 dias antes. O calendário gregoriano, portanto, começou saltando 10 dias de calendário, para restaurar a 21 de março como a data do equinócio vernal.

Porque os protestantes e ortodoxos orientais cristãos não reconhecem a autoridade do Papa, muitos países europeus inicialmente não seguir a reforma gregoriana, e manteve seus sistemas de estilo antigo. Eventualmente, outros países seguiram a reforma por uma questão de coerência, mas até o momento os adeptos últimas do calendário juliano na Europa Oriental (Rússia e Grécia) mudou para o sistema gregoriano no século 20, eles tiveram que soltar 13 dias a partir de seus calendários , devido à diferença adicional entre os dois calendários acumulados após 1582.

O calendário gregoriano continuou o ano anterior, sistema de numeração ( Anno Domini ), que conta anos a partir da data tradicional da natividade , calculado originalmente no século 6 e em uso em grande parte da Europa pelos Alta Idade Média . Este sistema de numeração anos, agora também chamado de Era Comum , é o padrão predominante internacional de hoje. [8]

Conteúdo

[ editar ] Descrição

O calendário gregoriano é um calendário solar . Um ano gregoriano regular consiste de 365 dias e em um ano bissexto, um intercalares ou dias salto é adicionado em 29 de fevereiro fazendo os anos 366 dias. Normalmente, um ano bissexto ocorre a cada quatro anos, mas o calendário gregoriano omite três dias bissextos a cada 400 anos, ao contrário do calendário juliano, que não omitir esses dias bissextos.

Um ano gregoriano está dividido em 12 meses , tal como se segue:

Não. Nome Dias
1 Janeiro 31
2 Fevereiro 28 ou 29
3 Março 31
4 Abril 30
5 Maio 31
6 Junho 30
7 Julho 31
8 Agosto 31
9 Setembro 30
10 Outubro 31
11 Novembro 30
12 Dezembro 31

Embora o padrão de comprimento mês é irregular, que pode ser representado pela expressão aritmética L = 30 + {[M + chão (M / 8)] MOD 2}, em que L é o comprimento do mês em dia e M é o número 1 mês a 12. A expressão é válida para 11 dos 12 meses, mas para M = 2 (Fevereiro) deve ser ajustado por subtracção de dois, e depois, se for um ano bissexto adicionando uma.

Anos gregorianos são identificadas por números anos consecutivos. [9] Ele agrupa dia em anos de 365 ou 366 dias, e repete completamente a cada 146.097 dias, que enchem de 400 anos, e que também passa a ser 20.871 sete dias semana . [10] [11]

Destes 400 anos, 303 anos comuns têm 365 dias e 97 anos bissextos têm 366 dias. Isso produz um calendário significar anos de exatamente 365 + 97/400 dias = 365,2425 dias = 365 dias, 5 horas, 49 minutos e 12 segundos. O mesmo resultado é obtido pela soma das partes fracionárias implicadas pela regra: 365 + 1/4 - 1/100 + 1/400 = 365 + 0,25-0,01 + 0,0025 = 365,2425

Para uma melhor representação, considerar Congruência de Zeller .

Uma data de calendário estiver totalmente especificado por ano (contados por algum esquema para além do âmbito do calendário em si), o mês (identificados pelo nome ou número) e, no dia do mês (numerados sequencialmente a partir de 1).

Embora o ano calendário funciona de 1 Janeiro a 31 de Dezembro, às vezes anos números foram baseados em um ponto de partida diferente dentro do calendário. Desconcertante, o termo "Anno Domini" não é específico sobre este ponto, e, na verdade, refere-se a uma família de sistemas de numeração anos com diferentes pontos de partida para os próximos anos. (Consulte a seção abaixo para saber mais sobre este assunto.)

[ editar ] calendário lunar

A Igreja Católica mantém um calendário lunar tabular, que era principalmente para calcular a data da Páscoa , ea reforma do calendário lunar necessária também. Um calendário lunar perpétua foi criado, no sentido de que 30 diferentes modalidades (linhas na tabela expandida de epacts ) para os meses lunares foram criados. Um dos arranjos 30 aplica-se a um século (para este efeito, o século começa com um ano divisível por 100). Quando a disposição para ser usado por um século dado é comunicado, qualquer um de posse das tabelas pode encontrar a idade da lua em qualquer data, e calcular a data da Páscoa. [12]

[ editar ] História

[ editar ] reforma gregoriana

Detalhe do túmulo do Papa Gregório XIII, celebrando a introdução do calendário gregoriano.

A motivação da Igreja Católica em ajustar o calendário foi para celebrar a Páscoa no momento em que pensei que o Primeiro Concílio de Nicéia tinha acordado em 325. Apesar de um cânone do conselho implica que todas as igrejas usou a Páscoa mesmo, eles não o fizeram. A Igreja de Alexandria celebrou a Páscoa no domingo após o 14 º dia da lua (calculado usando o ciclo Metônico ) que cai em ou após o equinócio da primavera , que colocaram em 21 de março. No entanto, a Igreja de Roma ainda considerado 25 de março como o equinócio (até 342) e utilizado um ciclo diferente para calcular o dia da lua. [13]

No sistema de Alexandria, desde o dia 14 da lua de Páscoa pode cair mais antiga, em 21 de Março o seu primeiro dia pode cair mais cedo do que 8 de Março e até 05 de abril. Isso significava que a Páscoa variou entre 22 de Março e 25 de Abril. Em Roma, a Páscoa não foi autorizado a cair, até 21 de abril, sendo que o dia da Parilia ou aniversário de Roma e um dia festival.The primeiro pagão da lua de Páscoa pode cair mais cedo do que 5 de Março e até 02 de abril .

Páscoa foi o primeiro domingo após o 15 º dia desta lua, cuja 14 dias foi autorizado a preceder o equinócio. Onde os dois sistemas produzidos diferentes datas havia geralmente um compromisso de modo a que ambas as igrejas puderam celebrar no mesmo dia. Por volta do século 10 todas as igrejas (com exceção de alguns, na fronteira oriental do Império Bizantino ) havia adotado a Páscoa de Alexandria, que ainda colocou o equinócio de primavera em 21 de março, embora Bede já tinha notado a sua deriva no 725-ele se afastara ainda mais, do século 16.

Pior, a Lua contou que foi usado para calcular a Páscoa foi fixada para o ano de Julian por um ciclo de 19 anos . No entanto, que a aproximação construído um erro de um dia a cada 310 anos, por isso, o século 16 o calendário lunar foi fora de fase com a Lua real por quatro dias.

O Concílio de Trento aprovou um plano em 1563 para corrigir os erros de calendário, exigindo que a data do equinócio vernal ser restaurado ao que realizou na época do Primeiro Concílio de Nicéia, em 325, e que uma alteração no calendário de ser projetado para impedir a dispersão futuro. Isso permitiria uma programação mais consistente e precisa da festa da Páscoa.

A correção foi de vir em duas etapas. Em primeiro lugar, foi necessário o comprimento aproximado correcta de um ano solar. O valor escolhido foi 365.2425 dias em notação decimal. [14] Embora próximo ao ano tropical média de 365,24219 dias, é ainda mais para o ano equinócio vernal média de 365,2424 dias, [15] este fato fez a escolha de aproximação particularmente apropriado , como o objetivo de criar o calendário foi garantir que o equinócio vernal seria perto de uma data específica (21 de Março). (Veja Precisão ).

A segunda etapa foi criar um modelo com base na aproximação que iria fornecer um preciso e simples, calendário baseado em regras. A fórmula projetada por Aloysius Lilius foi finalmente bem sucedida. Ele propôs uma correção de 10 dias para reverter a deriva desde Nicéia, ea imposição de um dia de salto de apenas 97 anos, em 400, e não em um ano em 4. Para implementar o modelo, estava previsto que os anos divisíveis por 100 seriam anos bissextos somente se fossem divisíveis por 400 também.

Assim, no último milênio, 1600 e 2000 foram anos bissextos, mas 1700, 1800 e 1900 não foram. Neste milênio, 2100, 2200, 2300, 2500, 2600, 2700, 2900 e 3000 não serão anos bissextos, mas 2400 e 2800 será. Esta teoria foi expandida por Christopher Clavius ​​em uma estreita argumentou volume de páginas, 800. Ele viria a defender o seu trabalho e Lilius contra detratores.

O ciclo de 19 anos usado para o calendário lunar foi também a ser corrigido por um dia a cada 300 ou 400 anos (oito vezes em 2500 anos), juntamente com correções para os anos que já não são os anos bissextos (ou seja, 1700, 1800, 1900 , 2100, etc.) Na verdade, um novo método para calcular a data da Páscoa foi introduzido.

Em 1577 um Compêndio foi enviado para os matemáticos de especialistas de fora da comissão de reforma para comentários. Alguns desses especialistas, incluindo Giambattista Benedetti e Giuseppe Moleto , acredita a Páscoa deveria ser calculada a partir dos movimentos reais do sol e da lua, em vez de usar um método tabular, mas estas recomendações não foram aprovadas. [16]

Gregory caiu de 10 dias para trazer o calendário de volta em sincronização com as estações do ano. Lilius propôs originalmente que a correção de 10 dias deve ser implementado, excluindo o dia bissexto Julian em cada uma de suas 10 ocorrências durante um período de 40 anos, de modo a permitir um retorno gradual do equinócio de 21 de março. No entanto, a opinião Clavius ​​era de que a correção deve acontecer em um movimento, e foi esse o conselho que prevaleceu com Gregory. Assim, quando o novo calendário foi posto em uso, o erro acumulado nos 13 séculos desde o Concílio de Nicéia foi corrigido por uma deleção de dez dias. O último dia do calendário juliano foi quinta-feira, 4 outubro, 1582 e este foi seguido pelo primeiro dia do calendário gregoriano, sexta-feira, 15 de outubro, 1582 (o ciclo de dias da semana não foi afetado).

[ editar ] Adoção

Embora a reforma de Gregório foi promulgada no mais solene das formas disponíveis para a Igreja, o touro não tinha autoridade para além da Igreja Católica e os Estados Pontifícios . As mudanças que ele estava propondo-se alterações ao calendário civil , sobre o qual ele não tinha autoridade. Eles precisavam de aprovação pelas autoridades civis em cada país que tem efeito legal.

O Concílio de Nicéia de 325 especificado que todos os cristãos devem celebrar a Páscoa no mesmo dia. Demorou quase cinco séculos antes de praticamente todos os cristãos alcançado esse objetivo adotando as regras da Igreja de Alexandria (ver Páscoa para as questões que surgiram). [17] O touro gravissimas Inter tornou-se a lei da Igreja Católica em 1582, mas não foi reconhecido por igrejas protestantes , Igrejas ortodoxas , e alguns outros. Consequentemente, os dias em que a Páscoa e feriados relacionados foram celebradas por diferentes Igrejas cristãs novamente divergiram.

Hoje, a grande maioria dos países usam o calendário gregoriano como seu único calendário civil . Países que não adotaram o calendário gregoriano são Arábia Saudita , Etiópia , Nepal , Irã e Afeganistão . Alguns países usam outros calendários ao lado do calendário gregoriano: Índia , Bangladesh , Israel e Mianmar ; outros países usam uma versão modificada do calendário gregoriano: Sri Lanka, Camboja, Tailândia , Japão , Coreia do Norte e Taiwan .

A adoção quase universal civil do calendário gregoriano não foi seguido pela maioria das organizações religiosas, que muitas vezes retidos seus próprios calendários. Esses calendários alternativos são usados ​​em muitas regiões do mundo de hoje para marcar ciclos de eventos religiosos e astrológicos.

[ editar ] Adoção na Europa

Quatro países católicos adotou o novo calendário na data especificada pelo touro. Outros países católicos experimentaram algum atraso antes da adopção da reforma, e países não-católicos, não estando sujeito aos decretos do Papa, inicialmente rejeitada ou simplesmente ignorou a reforma por completo, embora todos eles finalmente adotaram. Assim, a data 5 de outubro de 1582 a 14 de Outubro 1582 (inclusive) são datas válidas, em muitos países, mas inválido em outros.

Espanha, [18] Portugal, a Comunidade Polaco-Lituana , ea maioria da Itália implementou o novo calendário na sexta-feira 15 de outubro, 1582, imediatamente após Julian quinta-feira 4 de outubro, 1582. As colônias espanholas e Português aprovou o calendário mais tarde por causa da lentidão de comunicação. França adoptou o novo calendário de segunda-feira, 20 de dezembro, 1582, imediatamente após a domingo, 9 de dezembro, 1582. [19] Os holandeses províncias de Brabante, Zeeland e Staten-Generaal também aprovou em 25 de dezembro do mesmo ano, as províncias formando a Sul Países Baixos (Bélgica moderna), exceto o Ducado de Brabant em 1 de Janeiro de 1583, e na província de Holanda seguiram em 12 de Janeiro de 1583.

Muitos protestantes países inicialmente se opuseram a adopção de uma invenção católica, alguns protestantes temia que o novo calendário foi parte de um plano para devolvê-los ao rebanho católico. [20] Nas terras checas , protestantes resistiu ao calendário imposto pela monarquia dos Habsburgo . Em algumas partes da Irlanda, católicos rebeldes até a sua derrota nas Guerra Nove Anos, manteve o "novo" Páscoa em desafio às autoridades Inglês-leais , mais tarde, os católicos praticam em segredo pediu à Propaganda Fide para dispensação de observar o novo calendário, como sinalizou sua deslealdade. [21]

Na década de 1690, Ole Rømer usou sua influência para trazer uma adoção uniforme do calendário gregoriano em países protestantes, no entanto, que não poderia ser alcançado na prática. A Dinamarca, que, então, incluídos Noruega e alguns estados protestantes da Alemanha, adotou a parte solar do novo calendário na segunda-feira, 1 de março, 1700, [22] domingo seguinte, 18 fevereiro 1700. Prússia adotou o calendário gregoriano no mesmo dia. Contudo, a Dinamarca não adoptou a parte lunar , mas decidiu calcular a data da Páscoa astronomicamente usando o instante do equinócio de primavera ea lua cheia acordo com Kepler 's Tabelas Rudolphine de 1627. Eles definitivamente aprovado a parte lunar do calendário gregoriano em 1776. As restantes províncias da República Holandesa também adotaram o calendário gregoriano, em julho de 1700 (Gelderland), 1700 de Dezembro (Utrecht e Overijssel) e janeiro de 1701 (Friesland, Groningen).

Relação da Suécia com o Calendário Gregoriano foi difícil. Suécia começou a fazer a mudança do calendário juliano e para o calendário gregoriano em 1700, mas decidiu-se fazer o ajuste (depois de 11 dias) gradualmente, excluindo os dias bissextos (29 de Fevereiro) de cada um dos 11 anos bissextos sucessivas , 1700-1740. Enquanto isso, o calendário sueco estaria fora de passo com os dois o calendário juliano eo calendário gregoriano de 40 anos, também, a diferença não seria constante, mas que mudam a cada 4 anos.

Este sistema tinha potencial para confusão quando se trabalha fora das datas de eventos suecos neste período de 40 anos. Para aumentar a confusão, o sistema foi mal administrado e os dias bissextos que deveriam ter sido excluídos de 1704 e 1708 não foram excluídos. O calendário sueco (de acordo com o plano de transição) já deve ter sido 8 dias atrás do gregoriano, mas ainda era na verdade 10 dias atrás. Rei Carlos XII reconheceu que a mudança gradual para o novo sistema não estava funcionando, e ele a abandonou.

No entanto, ao invés de proceder diretamente para o calendário gregoriano, foi decidida a reverter para o calendário juliano. Isto foi conseguido através da introdução a única data de 30 de fevereiro no ano de 1712, ajustando a discrepância nos calendários de 10 de volta para 11 dias. Suécia finalmente adotaram o calendário gregoriano em 1753, quando quarta-feira, 17 de fevereiro foi seguido por quinta-feira, 1 de marco. Desde que a Finlândia estava sob domínio sueco na época, ele fez o mesmo. [23] Finlândia anexação 's para o Império Russo não reverter isso, já que a autonomia foi concedida, mas os documentos do governo na Finlândia foram datados em ambos os Julian e estilos gregorianos . Essa prática acabou quando a independência foi obtida em 1917.

William Hogarth pintura: humor de uma eleição (c. 1755), que é a principal fonte de "Dá-nos os nossos onze dias".

Grã-Bretanha e do Império Britânico (incluindo a parte oriental do que é hoje os Estados Unidos) adotaram o calendário gregoriano em 1752, época em que era necessário para corrigir por 11 dias. Quarta-feira setembro 2, 1752 foi seguido de quinta-feira, 14 de setembro, 1752. Alegações de que os manifestantes exigiam "Dê-nos os nossos 11 dias" surgiu de uma má interpretação de uma pintura de William Hogarth . Depois de 1753, o ano fiscal britânico na Grã-Bretanha continuou a operar no calendário juliano e começou em 5 de Abril, que foi o " estilo antigo "ano novo imposto de 25 de março. Um dia salto 12 pulado Julian, em 1800, mudou o seu início a 6 de Abril. Ele não foi alterado quando um dia bissexto 13 de Julian foi ignorado em 1900, para o ano fiscal no Reino Unido ainda começa em 6 de abril.

No Alasca, a mudança ocorreu quando sexta-feira 6 de outubro, 1867 foi seguido novamente por sexta-feira 18 de outubro, após a compra dos EUA Alasca da Rússia, que ainda estava no calendário juliano. Em vez de 12 dias, apenas 11 foram ignorados, e o dia da semana, foi repetido em dias sucessivos, porque a linha de data internacional (embora não seja conhecido por esse nome, em 1867) foi deslocado de oriental do Alasca para limite ocidental, juntamente com a alteração o calendário gregoriano. [24]

Na Rússia, o calendário gregoriano foi aceito após a Revolução de Outubro (assim chamado porque ocorreu em outubro de 1917 no calendário juliano). Em 24 de Janeiro de 1918, o Conselho dos Comissários do Povo publicou um decreto que quarta-feira, janeiro 31, 1918 estava a ser seguido por quinta-feira, 14 fevereiro, 1918, caindo, assim, 13 dias do calendário.

Os outros países da Europa de Leste, nomeadamente países mais ortodoxos, adotaram o calendário gregoriano na década de 1910 ou início de 1920. O último país do Leste Ortodoxa Europa a adoptar o calendário gregoriano foi a Grécia na quinta-feira 1 de março, 1923, que se seguiu quarta-feira 15 de fevereiro, 1923 (uma mudança que também caiu 13 dias). [25]

Como potências européias colonizadas ou não tomou o controle de várias partes do mundo, eles geralmente aplicado seus calendários nesses países. Esses países têm, em geral mantidos os calendários gregoriano depois de conseguir a independência.

[ editar ] Adoção na Ásia Oriental

Japão decidiu oficialmente substituir seu calendário tradicional lunisolar com o calendário gregoriano em 1872, assim que o dia seguinte ao segundo dia do décimo segundo mês do quinto ano do governo do imperador Meiji, tornou-se primeiro de janeiro de 1873, trazendo calendário do Japão em alinhamento com que das grandes potências ocidentais (excluindo a Rússia). Ainda assim, é comum o uso de Nengo , nomes de reinado em vez da Era Comum ou Anno Domini sistema, especialmente para documentos oficiais, por exemplo, Meiji 1 = 1868, Taisho 1 = 1912, Showa 1 = 1926, Heisei 1 = 1989, e assim por diante. Ainda assim, este sistema tem sido cada vez mais substituído no uso popular pelo "calendário ocidental" (西暦, seireki) ao longo do século XX. [ carece de fontes? ]

Coréia adotaram o calendário gregoriano em 1 de Janeiro de 1895 com a participação ativa de Yu-chun Kil . [26] Embora o novo calendário continuou a contar os seus meses, houve vários sistemas usados ​​para se referir a seus anos: durante a Dinastia Joseon , em 1895 -97, seus anos foram contados desde a fundação da dinastia que, em relação 1392 como um ano; [27] , em seguida, entre 1897 e 1910, e novamente de 1948-1962, era nomes coreanos foram usados ​​por seus anos, e entre 1910 e 1945 , quando a Coréia estava sob domínio japonês , os nomes japoneses da época foram usados ​​para contar os anos do calendário gregoriano utilizado na Coreia. [ carece de fontes? ]

Na Coréia do Sul, de 1945 até 1961, ano calendário gregoriano também foram contados desde a fundação do Gojoseon em 2333 aC (considerado como um ano), a data da fundação da Coréia pelo lendário Dangun , portanto, esses Dangi (단기) anos foram 4278 para 4294. Esta numeração foi usado informalmente com o calendário lunar coreano antes de 1945, mas só é ocasionalmente usada hoje. Na Coréia do Norte , o calendário Juche tem sido usado desde 1997 para o número de seus anos, em relação ao ano de nascimento de Kim Il Sung em 1912 como um ano. [ carece de fontes? ]

A República da China (ROC) aprovou formalmente o calendário gregoriano em sua fundação, em 1 de janeiro de 1912, mas a China logo desceu em um período de senhores da guerra com os senhores da guerra diferentes, utilizando diferentes calendários. Com a unificação da China sob o Kuomintang em outubro de 1928, o Governo Nacionalista decretou que a 1 de Janeiro de 1929, o calendário gregoriano seria usado. No entanto, a China manteve as tradições chinesas de numeração dos meses e um modificado sistema Época , reportando o primeiro ano do ROC a 1912, o sistema ainda está em uso em Taiwan , onde o governo mantém o controle ROC. Após a sua fundação, em 1949, a República Popular da China continuaram a usar o calendário gregoriano com os meses contados, mas aboliu o sistema de Época ROC e adotado ano ocidentais numeradas.

[ editar ] Adoção por Igrejas Ortodoxas

A Grécia foi o último país ortodoxo adotar o calendário gregoriano em Março de 1923. No entanto, essas adoções são apenas para fins civis ou estado, e nenhuma das Igrejas Ortodoxas nacionais têm reconhecido o calendário gregoriano para a igreja ou para fins religiosos. Em vez disso, uma revista calendário juliano foi proposto em maio de 1923, que caiu 13 dias em 1923 e adotou uma regra diferente ano bissexto. Não haverá diferença entre os dois calendários até 2800. As igrejas ortodoxas de Constantinopla , Alexandria , Antioquia , Grécia , Chipre , Roménia e Bulgária adotou a revista calendário juliano, então até 2800 esses Calendaristas Novas iria celebrar o Natal em 25 de dezembro no calendário gregoriano, o mesmo dia que as igrejas ocidentais. [ Carece de fontes? ] A Igreja Apostólica Armênia adotou o calendário gregoriano em 1923, exceto no Patriarcado Armênio de Jerusalém, onde o calendário juliano antigo ainda está em uso. [28] [29]

As igrejas ortodoxas de Jerusalém , Rússia , Sérvia , Geórgia , Polónia , Macedónia e os Calendaristas grego antigo não aceitou o calendário Juliano revisado, e continuar a celebrar o Natal em 25 de dezembro no calendário juliano, que é 07 de janeiro no calendário gregoriano até 2100. A recusa em aceitar as reformas gregorianas também tem um impacto sobre a data da Páscoa. Isto é porque a data da Páscoa é determinada com referência a 21 de Março como o equinócio funcional, que continua a aplicar-se o calendário juliano, ainda que o calendário civil nos países de origem agora usar o calendário gregoriano. [ carece de fontes? ]

Todas as outras igrejas orientais, as Ortodoxas Orientais igrejas ( copta , etíope , eritreia , e Síria ) continuam a usar seus próprios calendários, que geralmente resultam em datas fixas sendo celebrados de acordo com o calendário juliano. A Igreja Ortodoxa indiano usa o calendário gregoriano.

A Igreja Assíria usa o calendário gregoriano como promulgada pelo Mar Dinkha, provocando um cisma;. antiga Igreja Assíria do Oriente continua a usar o calendário juliano [ carece de fontes? ]

Todas as igrejas orientais continuar a usar a Páscoa Julian com a única exceção da Igreja Ortodoxa Finlandesa , que adoptou a Páscoa gregoriano. [ carece de fontes? ]

[ editar ] Linha de tempo

A data em que cada país adotou o calendário gregoriano, ou equivalente, é marcada contra uma linha de tempo horizontal. O eixo vertical é utilizado para a expansão para mostrar nomes separados nacionais para a facilidade de chamada, mas caso contrário, não tem qualquer significado.

[ editar ] Diferença entre gregoriano e as datas do calendário juliano

Desde a introdução do calendário gregoriano, a diferença entre gregoriano e calendário juliano datas aumentou por três dias a cada quatro séculos:

Gregoriano gama Julian gama Diferença
De 15 de outubro de 1582
a 10 de março de 1700
De 05 de outubro de 1582
a 28 fevereiro 1700
10 dias
De 11 de março de 1700
a 11 de março, 1800
De 29 Fevereiro 1700
de 28 de fevereiro de 1800
11 dias
De 12 de março de 1800
de 12 de março de 1900
De 29 de fevereiro de 1800
a 28 de fevereiro, 1900
12 dias
De 13 de março de 1900
de 13 de março de 2100
De 29 de fevereiro de 1900
de 28 de fevereiro de 2100
13 dias
De 14 março de 2100
a 14 mar 2200
De 29 de fevereiro de 2100
a 28 fev 2200
14 dias

Uma lista mais extensa está disponível em Conversão entre calendário juliano e gregoriano .

Esta seção sempre coloca o dia intercalares em 29 de Fevereiro, mesmo que sempre foi obtido dobrando 24 de fevereiro (o bissextum (duas vezes sexto) ou dia bissexto) até o final da Idade Média . O calendário gregoriano é proléptico antes de 1582 (que se pressupõe existir antes de 1582), enquanto o calendário juliano é proléptico antes ano 1 dC (porque dia não quadrienais bissextos foram usados ​​entre 45 aC e 1 dC).

A equação a seguir apresenta o número de dias (na verdade, as datas) que o calendário gregoriano está à frente do calendário Juliano, chamou a diferença secular entre os dois calendários. A diferença negativa significa que o calendário Juliano está à frente do calendário gregoriano. [30]

D = H - \ tfrac {H} {4} - 2

onde D é a diferença secular; H são os dígitos do ano, centenas utilizando astronômico anos numeração , isto é, utilizar (BC ano) - 1 para anos aC, e \ Tfrac {H} {4} é a divisão inteira de H por 4. Isso trunca (remove) qualquer fração decimal (resto) da divisão, para ambos os números positivos e negativos. Assim, durante os anos 1900, 19/4 = 4, enquanto que durante o-500s, -5 / 4 = -1.

A diferença calculada aumenta um ponto em um ano centurial (um ano que termina em 00) a 29 de fevereiro ou 01 de março Julian ou gregoriano, o que for mais tarde. For positive differences, 29 February Julian is later, whereas for negative differences, 1 March Gregorian is later. [ 31 ] [ 32 ]

[ edit ] Beginning of the year

The year used in dates during the Roman Republic and the Roman Empire was the consular year, which began on the day when consuls first entered office—probably 1 May before 222 BC, 15 March from 222 BC and 1 January from 153 BC. [ 33 ] The Julian calendar , which began in 45 BC, continued to use 1 January as the first day of the new year . Even though the year used for dates changed, the civil year always displayed its months in the order January through December from the Roman Republican period until the present.

During the Middle Ages , under the influence of the Christian Church, many Western European countries moved the start of the year to one of several important Christian festivals—25 December (the Nativity of Jesus ), 25 March ( Annunciation ), or Easter (France), [ 23 ] while the Byzantine Empire began its year on 1 September and Russia did so on 1 March until 1492 when the year was moved to 1 September. [ 34 ]

In common usage, 1 January was regarded as New Year's Day and celebrated as such, [ 35 ] but from the 12th century until 1751 the legal year in England began on 25 March ( Lady Day ). [ 36 ] So, for example, the Parliamentary record lists the execution of Charles I on 30 January as occurring in 164 8 (as the year did not end until 24 March), [ 37 ] although modern histories adjust the start of the year to 1 January and record the execution as occurring in 164 9 . [ 38 ]

Most Western European countries changed the start of the year to 1 January before they adopted the Gregorian calendar. For example, Scotland changed the start of the Scottish New Year to 1 January in 1600 (this means that 1599 was a short year). England, Ireland and the British colonies changed the start of the year to 1 January in 1752 (so 1751 was a short year with only 282 days) though the tax year has stayed as 25 March to this day (being 6 April in the new calendar). Later that year in September the Gregorian calendar was introduced throughout Britain and the British colonies (see the section Adoption ). These two reforms were implemented by the Calendar (New Style) Act 1750 . [ 22 ]

In some countries, an official decree or law specified that the start of the year should be 1 January. For such countries we can identify a specific year when a 1 January-year became the norm. But in other countries the customs varied, and the start of the year moved back and forth as fashion and influence from other countries dictated various customs.

País Start numbered year
on 1 January
Adoption of
Gregorian calendar
Dinamarca Gradual change from
13th to 16th centuries [ 39 ]
1700
Veneza 1522 1582
Holy Roman Empire (Catholic states) 1544 1583
Espanha 1556 1582
Portugal 1556 1582
Holy Roman Empire (Protestant states) 1559 1700
Suécia 1559 1753
França 1564 [ 40 ] 1582
Southern Netherlands 1576 [ 41 ] 1582
Lorena 1579 1682
Holandês República 1583 1582
Escócia 1600 [ 42 ] [ 43 ] 1752
Rússia 1700 [ 44 ] 1918
Toscana 1721 1750
Britain and
Império Britânico
except Scotland
1752 [ 42 ] 1752

Neither the papal bull nor its attached canons explicitly fix such a date, though it is implied by two tables of saint 's days, one labelled 1582 which ends on 31 December, and another for any full year that begins on 1 January. It also specifies its epact relative to 1 January, in contrast with the Julian calendar, which specified it relative to 22 March. These would have been the inevitable result of the above shift in the beginning of the Julian year.

[ edit ] Dual dating

During the period between 1582, when the first countries adopted the Gregorian calendar, and 1923, when the last European country adopted it, it was often necessary to indicate the date of some event in both the Julian calendar and in the Gregorian calendar, for example, "10/21 February 1750/51", where the dual year accounts for some countries already beginning their numbered year on 1 January while others were still using some other date. Even before 1582, the year sometimes had to be double dated because of the different beginnings of the year in various countries. Woolley, writing in his biography of John Dee (1527–1608/9), notes that immediately after 1582 English letter writers "customarily" used "two dates" on their letters, one OS and one NS. [ 45 ]

[ edit ] Old Style and New Style dates

"Old Style" (OS) and "New Style" (NS) are sometimes added to dates to identify which system is used in the British Empire and other countries that did not immediately change. Because the Calendar Act of 1750 altered the start of the year, [ 46 ] and also aligned the British calendar with the Gregorian calendar, there is some confusion as to what these terms mean. They can indicate that the start of the Julian year has been adjusted to start on 1 January (NS) even though contemporary documents use a different start of year (OS); or to indicate that a date conforms to the Julian calendar (OS), formerly in use in many countries, rather than the Gregorian calendar (NS). [ 38 ] [ 47 ] [ 48 ] [ 49 ]

[ edit ] Proleptic Gregorian calendar

The Gregorian calendar can, for certain purposes, be extended backwards to dates preceding its official introduction, producing the proleptic Gregorian calendar , but this proleptic calendar should be used with great caution.

For ordinary purposes, the dates of events occurring prior to 15 October 1582 are generally shown as they appeared in the Julian calendar, with the year starting on 1 January, and no conversion to their Gregorian equivalents. The Battle of Agincourt is universally known to have been fought on 25 October 1415 which is Saint Crispin 's Day.

Usually, the mapping of new dates onto old dates with a start of year adjustment works well with little confusion for events that happened before the introduction of the Gregorian Calendar. But for the period between the first introduction of the Gregorian calendar on 15 October 1582 and its introduction in Britain on 14 September 1752, there can be considerable confusion between events in continental western Europe and in British domains in English language histories.

Events in continental western Europe are usually reported in English language histories as happening under the Gregorian calendar. For example the Battle of Blenheim is always given as 13 August 1704. Confusion occurs when an event affects both. For example William III of England arrived at Brixham in England on 5 November 1688 (Julian calendar), after setting sail from the Netherlands on 11 November 1688 (Gregorian calendar).

Shakespeare and Cervantes apparently died on exactly the same date (23 April 1616), but Cervantes predeceased Shakespeare by ten days in real time (as Spain used the Gregorian calendar, but Britain used the Julian calendar). This coincidence encouraged UNESCO to make 23 April the World Book and Copyright Day .

Astronomers avoid this ambiguity by the use of the Julian day number .

For dates before the year 1, unlike the proleptic Gregorian calendar used in the international standard ISO 8601 , the traditional proleptic Gregorian calendar (like the Julian calendar) does not have a year 0 and instead uses the ordinal numbers 1, 2, … both for years AD and BC. Thus the traditional time line is 2 BC, 1 BC, AD 1, and AD 2. ISO 8601 uses astronomical year numbering which includes a year 0 and negative numbers before it. Thus the ISO 8601 time line is −0001 , 0000, 0001, and 0002.

[ edit ] Months of the year

English speakers sometimes remember the number of days in each month by memorizing a traditional mnemonic verse:

Thirty days hath September,
April, June, and November.
All the rest have thirty-one,
Excepting February alone,
Which hath twenty-eight days clear,
And twenty-nine in each leap year.

For variations and alternate endings, see Thirty days hath September .

The knuckle mnemonic .

A language-independent alternative used in many countries is to hold up one's two fists with the index knuckle of the left hand against the index knuckle of the right hand. Then, starting with January from the little knuckle of the left hand, count knuckle, space, knuckle, space through the months. A knuckle represents a month of 31 days, and a space represents a short month (a 28- or 29-day February or any 30-day month). The junction between the hands is not counted, so the two index knuckles represent July and August.

This method also works by starting the sequence on the right hand's little knuckle, then continuing towards the left. It can also be done using just one hand: after counting the fourth knuckle as July, start again counting the first knuckle as August. A similar mnemonic can be found on a piano keyboard : starting on the key F for January, moving up the keyboard in semitones , the black notes give the short months, the white notes the long ones.

The origins of English naming used by the Gregorian calendar:

  • January: Janus (Roman god of gates, doorways, beginnings and endings)
  • February: Februus ( Etruscan god of death) Februarius (mensis) (Latin for "month of purification (rituals)" it is said to be a Sabine word, the last month of ancient pre-450 BC Roman calendar ). It is related to fever . [ 50 ] [ 51 ] [ 52 ]
  • March: Mars (Roman god of war)
  • April: "Modern scholars associate the name with an ancient root meaning 'other', ie the second month of a year beginning in March." [ 53 ]
  • May: Maia Maiestas (Roman goddess)
  • June: Juno (Roman goddess, wife of Jupiter)
  • July: Julius Caesar (Roman dictator) (month was formerly named Quintilis, the fifth month of the calendar of Romulus )
  • August: Augustus (first Roman emperor) (month was formerly named Sextilis, the sixth month of Romulus)
  • September: septem (Latin for seven, the seventh month of Romulus)
  • October: octo (Latin for eight, the eighth month of Romulus)
  • November: novem (Latin for nine, the ninth month of Romulus)
  • December: decem (Latin for ten, the tenth month of Romulus)

[ edit ] Week

In conjunction with the system of months there is a system of weeks . A physical or electronic calendar provides conversion from a given date to the weekday , and shows multiple dates for a given weekday and month. Calculating the day of the week is not very simple, because of the irregularities in the Gregorian system. When the Gregorian calendar was adopted by each country (but not Alaska), the weekly cycle continued uninterrupted. For example, in the case of the few countries that adopted the reformed calendar on the date proposed by Gregory XIII for the calendar's adoption, Friday, 15 October 1582, the preceding date was Thursday, 4 October 1582 (Julian calendar).

Opinions vary about the numbering of the days of the week. ISO 8601 , in common use worldwide, starts with Monday=1; printed monthly calendar grids list Mondays in the first (left) column of dates and Sundays in the last. Software often starts with Sunday=0. In the United States , it's generally the case that Sunday=1, with Sundays shown in the left column of a monthly calendar page.

[ edit ] Accuracy

The Gregorian calendar improves the approximation made by the Julian calendar by skipping three Julian leap days in every 400 years, giving an average year of 365.2425 mean solar days long. [ 54 ] This approximation has an error of about one day per 3,300 years with respect to the mean tropical year . However, because of the precession of the equinoxes , the error with respect to the vernal equinox (which occurs, on average, 365.24237 days apart near 2000 [ 55 ] ) is 1 day every 7,700 years. By any criterion, the Gregorian calendar is substantially more accurate than the 1 day in 128 years error of the Julian calendar (average year 365.25 days).

In the 19th century, Sir John Herschel proposed a modification to the Gregorian calendar with 969 leap days every 4000 years, instead of 970 leap days that the Gregorian calendar would insert over the same period. [ 56 ] This would reduce the average year to 365.24225 days. Herschel's proposal would make the year 4000, and multiples thereof, common instead of leap. While this modification has often been proposed since, it has never been officially adopted. [ 57 ]

On time scales of thousands of years, the Gregorian calendar falls behind the astronomical seasons because the slowing down of the Earth's rotation makes each day slightly longer over time (see tidal acceleration and leap second ) while the year maintains a more uniform duration. Borkowski reviewed mathematical models in the literature, and found that the results generally fall between a model by McCarthy and Babcock, and another by Stephenson and Morrison. If so, in the year 4000, the calendar will fall behind by at least 0.8 but less than 1.1 days. In the year 12,000 the calendar would fall behind by at least 8 but less than 12 days. [ 58 ]

[ edit ] Calendar seasonal error

Gregorian calendar seasons difference

This image shows the difference between the Gregorian calendar and the astronomical seasons.

The y -axis is the date in June and the x -axis is Gregorian calendar years.

Each point is the date and time of the June Solstice on that particular year. The error shifts by about a quarter of a day per year. Centurial years are ordinary years, unless they are divisible by 400, in which case they are leap years. This causes a correction on years 1700, 1800, 1900, 2100, 2200, and 2300.

For instance, these corrections cause 23 December 1903 to be the latest December solstice, and 20 December 2096 to be the earliest solstice—2.25 days of variation compared with the seasonal event.

[ edit ] Other aspects

The day of the year is somewhat inconvenient to compute, partly because the leap day does not fall at the end of the year. But the calendar exhibits a repeating pattern for the number of days in the months March to July and August to December: 31, 30, 31, 30, 31, for a total of 153 days each. In fact, any five consecutive months not containing February contain exactly 153 days.

See also common year starting on Sunday and dominical letter .

The 400-year cycle of the Gregorian calendar has 146,097 days and hence exactly 20,871 weeks. So, for example, the days of the week in Gregorian 1612 were exactly the same as for 2012. The years that are divisible by 400 begin on a Saturday. In the 400-year cycle, more months begin on a Sunday (and hence have Friday the 13th ) than any other day of the week (see above under Week for a more detailed explanation of how this happens). 688 out of every 4800 months (or 172/1200) begin on a Sunday, while only 684 out of every 4800 months (171/1200) begin on each of Saturday and Monday, the least common cases.

A smaller cycle is 28 years (1,461 weeks). For any given date of the year, the day of the week also repeats in one of the following patterns:

after 5, 11, and 22 years
after 6, 11, and 17 years
after 6, 17, and 23 years
after 11, 17, and 22 years

However, a dropped leap year (such as 1900) temporarily disrupts the 28-year cycle and the repetitions within it.

The Doomsday algorithm is a method to discern which of the 14 calendar variations should be used in any given year (after the Gregorian reformation). It is based on the last day in February, referred to as the Doomsday.

[ edit ] Day of the week for a date in different years

Common years always begin and end on the same day of the week, since 365 is one more than a multiple of 7 (52 [number of weeks in a year] × 7 [number of days in a week] = 364). For example, 2007 began on a Monday and ended on a Monday. Leap years end on the next day of the week from which they begin. For example, 2008 began on a Tuesday and ended on a Wednesday.

Not counting leap years, any calendar date will move to the next day of the week the following year. For example, if a birthday fell on a Wednesday in 2006, it fell on a Thursday in 2007. Leap years make things a little more complicated, and move any given date occurring after March two days in the week on the following year, "leaping over" an extra day, hence the term leap year . For example, 2008 was a leap year, so calendar days of 1 March or later in the year, moved two days of the week from 2007.

Calendar days occurring before 1 March do not make the extra day of the week jump until the year following a leap year. So, if a birthday is 15 June, then it must have fallen on a Friday in 2007 and a Sunday in 2008. If, however, a birthday is 15 February, then it must have fallen on a Thursday in 2007, a Friday in 2008 and a Sunday in 2009.

[ edit ] Calendar matches between months

In any year (even a leap year), July always begins on the same day of the week that April does; therefore, the only difference between a July calendar page and an April calendar page in the same year is the extra day July has. The same relationship exists between September and December, as well as between March and November. If an extra day is added to the September calendar, the calendar for December is obtained; remove a day from the March calendar, and that for November is obtained.

In common years (non-leap years), there are additional matches: October duplicates January, and March and November duplicate February in their first 28 days. In leap years only, there is a different set of additional matches: July is a duplicate of January, while February is duplicated in the first 29 days of August. In addition, between any two years January is a duplicate of May of the year before (ex. May of 2010 is the same as January of 2011). The same applies for February and June of the year before. February is a duplicate of the first 28 or 29 days in June of the year before.

[ edit ] English names for year numbering system

The Anno Domini (Latin for "in the year of the/our Lord") system of numbering years, in which the leap year rules are written, and which is generally used together with the Gregorian calendar, is also known in English as the Common Era. Years before the beginning of the era are known in English as Before Christ, or Before the Common Era. The corresponding abbreviations AD, CE, BC, and BCE are used. There is no year 0 ; AD 1 immediately follows 1 BC.

Naturally, since Inter gravissimas was written in Latin, it does not mandate any English language nomenclature. Two era names occur within the bull, " anno Incarnationis dominicæ " ("in the year of the Incarnation of the Lord") for the year it was signed, and " anno à Nativitate Domini nostri Jesu Christi " ("in the year from the Nativity of our Lord Jesus Christ") for the year it was printed. Nevertheless, "anno Domini" and its inflections "anni Domini" and "annus Domini" are used many times in the canons attached to the bull. [ 59 ]

[ edit ] Proposed reforms

The following are proposed reforms of the Gregorian calendar:

[ editar ] Ver também

[ editar ] Notas

  1. ^ Introduction to Calendars . United States Naval Observatory . Retrieved 15 January 2009.
  2. ^ Calendars by LE Doggett. Section 2.
  3. ^ The international standard for the representation of dates and times, ISO 8601 , uses the Gregorian calendar. Section 3.2.1.
  4. ^ Eastman, Allan. "A Month of Sundays" . Date and Time. Archived from the original on 2010-05-06 . http://www.timeanddate.com/newsletter/all-the-time/a-month-of-sundays5.html . Retrieved 2010-05-04 .
  5. ^ See Wikisource English translation of the (Latin) 1582 papal bull Inter gravissimas , instituting Gregorian calendar reform.
  6. ^ Moyer (1983).
  7. ^ Introduction to Calendars . (13 September 2007). United States Naval Observatory .
  8. ^ This era was created in the year 525 by the Roman monk Dionysius Exiguus . See Nineteen-Year Cycle of Dionysius . Introduction and first argumentum .
  9. ^ Clause 3.2.1 ISO 8601
  10. ^ The cycle described applies to the solar, or civil, calendar. If the ecclesiastical lunar rules are also considered, the lunisolar Easter computus cycle repeats only after 5,700,000 years of 2,081,882,250 days in 70,499,183 lunar months, based on an assumed mean lunar month of 29 days 12 hours 44 minutes 2+ 49928114 / 70499183 seconds. (Seidelmann (1992), p. 582) [To properly function as an Easter computus , this lunisolar cycle must have the same mean year as the Gregorian solar cycle, and indeed that is exactly the case.]
  11. ^ The extreme length of the Gregorian Easter computus is due to its being "the least common multiple of the 19-year Metonic cycle, the 400 years it takes for the Gregorian calendar to return to the same pattern of days of the week, the 4000 years it takes for the Gregorian leap-year corrections to add up to 30 days, and the 9375 years it takes for the correction to the Metonic cycle to amount to 30 days." N. Dershowitz and EM Reingold " Calendrical Calculations ", page 117, Cambridge University Press, 3rd edition, 2008.
  12. ^ Ziggelaar (1983), pp. 201–224.
  13. ^ Pedersen (1983), pp. 42–43.
  14. ^ This is 365;14,33 days in sexagesimal notation—the length of the tropical year , rounded to two sexagesimal positions; this was the value used in the major astronomical tables of the day.
  15. ^ Meeus and Savoie (1992).
  16. ^ Ziggelaar (1983), pp. 211, 214.
  17. ^ The last major Christian region to accept the Alexandrian rules was the Carolingian Empire (most of Western Europe) during 780–800. The last monastery in England to accept the Alexandrian rules did so in 931, and a few churches in southwest Asia beyond the eastern border of the Byzantine Empire continued to use rules that differed slightly, causing four dates for Easter to differ every 532 years.
  18. ^ "Pragmatica" on the Ten Days of the Year World Digital Library . King Philip II of Spain, decreed the change from the Julian to the Gregorian calendar. Retrieved December 3, 2010.
  19. ^ "Toke Nørby. The Perpetual Calendar: What about France?" . Norbyhus.dk . http://www.norbyhus.dk/calendar.html#France . Retrieved 2010-09-14 .
  20. ^ Moyer (1982).
  21. ^ Morgan, Hiram (1 April 2006). "'The Pope's new invention': the introduction of the Gregorian calendar in Ireland, 1583–1782" ( MS Word ). Pontifical Irish College , Rome: "Ireland, Rome and the Holy See: History, Culture and Contact", a UCC History Department symposium . http://web.archive.org/web/20110719134353/http://ucc-ie.academia.edu/HiramMorgan/Papers/137094/The_Popes_new_invention_the_introduction_of_the_Gregorian_calendar_in_Ireland_1583-1782 . Retrieved 17 October 2010 .
  22. ^ a b Nørby, Toke. The Perpetual Calendar
  23. ^ a b Mike Spathaky Old Style and New Style Dates and the change to the Gregorian Calendar: A summary for genealogists
  24. ^ Sumner 1875, p. 348
  25. ^ US Social Security Administration 2005.
  26. ^ Lee (1996), p. 341 .
  27. ^ Lee (1996), p. 382 and p. 520 (note 13) .
  28. ^ The Armenian Church | Christmas (c. 2010). Diocese of the Armenian Church of America (Eastern).
  29. ^ Ardem A. Tajerian (nd). When Is Easter This Year? CAKE Foundation. Retrieved 7 January 2009.
  30. ^ Blackburn & Holford-Strevens (1999), p. 788.
  31. ^ James Evans, The history and practice of ancient astronomy (Oxford: Oxford University Press, 1998) 169. ISBN 0-19-509539-1 .
  32. ^ Explanatory Supplement to The Astronomical Ephemeris and The American Ephemeris and Nautical Almanac (London: Her Majesty's Stationery Office, 1961) 417.
  33. ^ "Roman Dates: Eponymous Years" . Tyndalehouse.com . http://www.tyndalehouse.com/Egypt/ptolemies/chron/roman/chron_rom_cal.htm#eponymous . Retrieved 2010-09-14 .
  34. ^ SI Seleschnikow: Wieviel Monde hat ein Jahr? (Aulis-Verlag, Leipzig/Jena/Berlin 1981, p. 149), which is a German translation of С. И. Селешников: История календаря и хронология (Издательство «Наука», Moscow 1977). The relevant chapter is available online here: История календаря в России и в СССР (Calendar history in Russia and the USSR) . Anno Mundi 7000 lasted from 1 March 1492 to 31 August 1492 . (Russian)
  35. ^ Tuesday 31 December 1661 , The Diary of Samuel Pepys "I sat down to end my journell for this year, ..."
  36. ^ Nørby, Toke. The Perpetual Calendar: What about England Version 29 February 2000
  37. ^ "House of Commons Journal Volume 8, 9 June 1660 (Regicides)" . British History Online . http://www.british-history.ac.uk/report.asp?compid=26211#s5 . Retrieved 18 March 2007 .
  38. ^ a b Death warrant of Charles I web page of the UK National Archives . A demonstration of New Style meaning Julian calendar with a start of year adjustment.
  39. ^ Herluf Nielsen: Kronologi (2nd ed., Dansk Historisk Fællesforening, Copenhagen 1967), pp.48–50.
  40. ^ Le calendrier grégorien en France (French)
  41. ^ Per decree of 16 June 1575. Hermann Grotefend, " Osteranfang " (Easter beginning), Zeitrechnung de Deutschen Mittelalters und der Neuzeit (Chronology of the German Middle Ages and modern times) (1891–1898)
  42. ^ a b Blackburn & Holford-Strevens (1999), p. 784.
  43. ^ John J. Bond, Handy-book of rules and tables for verifying dates with the Christian era Scottish decree on pp. xvii–xviii.
  44. ^ Roscoe Lamont, The reform of the Julian calendar , Popular Astronomy 28 (1920) 18–32. Decree of Peter the Great is on pp.23–24.
  45. ^ Benjamin Woolley, The Queen's Conjurer: The science and magic of Dr. John Dee, adviser to Queen Elizabeth I (New York: Henry Holt, 2001) p.173
  46. ^ In Scotland the legal start of year had been moved to 1 January in 1600 (Mike Spathaky. Old Style New Style dates and the change to the Gregorian calendar ); and as Ireland was not part of the union of Great Britain so separate legislation was needed for Ireland.
  47. ^ Spathaky, Mike Old Style New Style dates and the change to the Gregorian calendar . "increasingly parish registers, in addition to a new year heading after 24th March showing, for example '1733', had another heading at the end of the following December indicating '1733/4'. This showed where the New Style 1734 started even though the Old Style 1733 continued until 24th March. ... We as historians have no excuse for creating ambiguity and must keep to the notation described above in one of its forms. It is no good writing simply 20th January 1745, for a reader is left wondering whether we have used the Old or the New Style reckoning. The date should either be written 20th January 1745 OS (if indeed it was Old Style) or as 20th January 1745/6. The hyphen (1745-6) is best avoided as it can be interpreted as indicating a period of time."
  48. ^ The October (November) Revolution Britannica encyclopaedia, A demonstration of New Style meaning the Gregorian calendar.
  49. ^ Stockton, JR Date Miscellany I: The Old and New Styles "The terms 'Old Style' and 'New Style' are now commonly used for both the 'Start of Year' and 'Leap Year' [(Gregorian calendar)] changes (England & Wales: both in 1752; Scotland: 1600, 1752). I believe that, properly and historically, the 'Styles' really refer only to the 'Start of Year' change (from March 25th to January 1st); and that the 'Leap Year' change should be described as the change from Julian to Gregorian."
  50. ^ Adriana Rosado-Bonewitz, "Whats in a word?" [ dead link ] (pdf, 1.3MB), Intercambios: Quarterly Newsletter of the Spanish Language Division of the American Translators , 9(1) (March 2005): 14–15, ISSN 1550-2945 (in Spanish)
  51. ^ Anatoly Liberman, " On A Self-Congratulatory Note, Or, All The Year Round: The Names of The Months " (filed in Oxford Etymologist , 7 March 2007)
  52. ^ LL Neuru, " St. Valentine's Holiday " Labyrinth 64 (1996), Department of Classical Studies, University of Waterloo, Ontario, Canada
  53. ^ Blackburn & Holford-Strevens (2003), p. 140.
  54. ^ Seidelmann (1992), pp. 580–581.
  55. ^ Meeus and Savoie (1992), p. 42
  56. ^ John Herschel, Outlines of Astronomy , 1849, p. 629.
  57. ^ Steel, D. (1999) Marking Time . Wiley. p. 185. Excerpt viewed 22 June 2009 at Google Books
  58. ^ Borkowski, KM, (1991) "The tropical calendar and solar year" , J. Royal Astronomical Soc. of Canada 85(3): 121–130.
  59. ^ Les canons of Les textes fondateurs du calendrier grégorien (Latin) (French)

[ editar ] Referências

[ editar ] Ligações externas